TOP 10: Filmes mais chocantes do cinema

Cult Pop Show - Entretenimento e Cultura Pop sem ruído.

Filmes pipocas nunca sairão de moda porque funcionam como uma válvula de escape, dando aquela dose necessária de alienação para fugir um pouco da dura realidade. Mas há momentos nos quais não estamos com vontade de rir loucamente ou receber um bombardeio de efeitos especiais. São neles que vamos à caça de longas que fogem desse circuito, algo que pode ser muito perigoso, principalmente se você é do tipo que se choca fácil. Cenas violentas, excessivamente verdadeiras, situações insanas e atos capciosos são alguns dos ingredientes preferidos desses thrillers. Segure-se na cadeira!

1. 120 Dias de Sodoma (Salò, 120 Days of Sodom, 1975)
O filme de Pasolini lidera quase todas as listas de filmes perturbadores da história, e aqui não será diferente. A visão do diretor da obra de Marquês de Sade foi basicamente banida em todos os países. Motivos não faltam para ser considerado o longa mais WHAT THE FUCK do cinema, entre eles a cena em que as vítimas são apresentadas às suas refeições: pratos cheios de fezes humanas; ou ainda as diversas cenas explícitas de estupros, olhos sendo arrancados, línguas sendo cortadas, etc. É uma verdadeira orgia sangrenta. Apesar de tudo, o filme é uma crítica direta ao regime Fascista, ao abuso de poder e à desigualdade. Mais do que uma tortura psicológica, é um verdadeiro manifesto político.

Diretor: Pier Paolo Pasolini
Sinopse: Quatro libertinos fascistas sequestram 18 adolescentes para submetê-los a 120 dias de tortura física, mental e sexual.


2. Terror sem Limites (A Serbian Film, 2010)
Sádico, esse filme é uma expressão exata da mente de um psicopata pervertido. Terrivelmente chocante, ultrapassa o limite do suportável com cenas que fazem fechar os olhos de quem assista. Prepare-se para o susto da sua vida com a cena do estupro de um bebê. Isso mesmo, um bebê. Repugnante! Ainda tem o final surpreendente com revelações bombásticas.

Diretor: Srdan Spasojevic
Sinopse: Milos é um ator pornô que se afastou das câmeras para construir uma família. Enquanto passa graves dificuldades econômicas, lhe é oferecido um cachê exorbitante para atuar num filme de arte. Até quando Milos percebe ter entrado num labirinto de sexo doentio, torturas e jogos mortais.


3. Nekromantik (1987)
Conhecido como o “filme erótico para necrófilos”, Nekromantik é nojento em todos os sentidos. Rob e sua esposa Betty passam o tempo brincando com cadáveres. Adoram um threesome, no qual a atração principal é um desconhecido em decomposição. Para o hall de cenas indesejáveis, entra aquela em que Betty desenrola uma camisinha num cabo de metal e atrela ao seu mais novo amigo para começar a diversão. Tensão ao cubo!

Diretor: Jörg Buttgereit
Sinopse: Após acidentes em lugares públicos, Rob recolhe cadáveres, que são levados para o necrotério. Quando acha um corpo próximo a um lago, ele o leva para casa para satisfazer aos seus desejos e de sua mulher, igualmente doentios, até descobrir que ela prefere o cadáver a ele.


4. Pink Flamingos (1972)
A mais famosa drag queen do século XX – e a mais incrível e louca, diga-se de passagem – Divine, não ganhou esse título à toa. Protagonizando bizarrices com o seu personagem, Harris Glenn Milstead se juntou ao cineasta John Waters para diversos filmes malucos e carregados de humor negro. Pink Flamingos é um deles. Tem de tudo: mãe e filho praticando sexo oral, Divine se alimentando de fezes, nudez bem focada, sexo entre um casal e uma galinha, entre outras coisas. Definitivamente, não é um filme aconselhável para assistir após o jantar ou para assistir at all.

Diretor: John Waters
Sinopse: A trajetória da drag queen Divine e sua família na competição contra o casal Connie e Raymond Marble pelo título de “pessoas mais sórdidas do mundo”, insensatamente almejado.


5. Irreversível (Irréversible, 2002)
O filme francês do diretor Gaspar Noé é considerado chocante por duas razões: a cena de estupro, uma das mais agoniantes do cinema, e a morte do estuprador, na qual a câmera capta tudo num ângulo fechado, próximo. Gaspar faz uso de closes, câmeras que giram de cima pra baixo, dando a sensação de alucinação e provocando ânsia no espectador.

Diretor: Gaspar Noé
Sinopse: O filme narra, de trás para frente, a história de uma vingança. A primeira sequencia mostra dois amigos desesperados, Marcus (Vincent Cassel) e Pierre (Albert Dupontel), saindo pelo submundo de Paris à procura do homem que teria estuprado e espancado Alex (Monica Bellucci), a atual namorada de Marcus e ex-namorada de Pierre. Em seguida, a narrativa volta passo a passo no tempo para mostrar como Marcus e Pierre descobriram o nome do autor do crime, recuando até o próprio estupro e os eventos que o antecederam.


Cult Pop Show - Entretenimento e Cultura Pop sem ruído.
6. Aftermath (1994)
O que acontece depois da morte? Este curta mórbido e doentio dá a resposta. Se avaliado pelos critérios técnicos, seria um ótimo curta, já que a fotografia, roteiro e trilha sonora são impecáveis. Mas é bom informar que se trata de um filme sobre um legista louco que mutila um corpo no necrotério. Como se isso já não fosse difícil de engolir, ele ainda leva o coração do cadáver para casa e serve o seu cachorro. 30 minutos sem diálogo algum, apenas cenas fortes e uma trilha de matar.

Diretor: Nacho Cerdà
Sinopse: Uma mulher morre tragicamente em um acidente de automóvel, mas o verdadeiro horror a espera após a morte. O que acontece com o corpo depois que o espírito abandona o cadáver depende da misericórdia de quem manipula os mortos?

Assista ao curta completo:


7. O Exorcista (The Exorcist, 1973)
Claro que este clássico do horror não estaria fora desta lista. Regan MacNeil possuída é uma das primeiras imagens que vêm à mente quando se pensa em possessão demoníaca. E os motivos para o filme estar aqui são bem claros para todos, mas recordar é viver: Regan se masturbando com um crucifixo, descendo as escadas de ponta-cabeça e vomitando sem parar no rosto do Padre Damien, entre outros. Tão perturbador que sacos de vômito foram distribuídos nos cinemas na época de seu lançamento.

Diretor: William Friedkin
Sinopse: Em Georgetown, Washington, uma atriz vai gradativamente tomando consciência que a sua filha de doze anos, Regan, está tendo um comportamento completamente assustador. Deste modo, ela pede ajuda a um padre, que também é um psiquiatra, e este chega a conclusão de que a garota está possuída pelo demônio. Ele solicita então a ajuda de um segundo sacerdote, especialista em exorcismo, para tentar livrar a menina desta terrível possessão.


8. Laranja Mecânica (A Clockwork Orange, 1971)
Uma das principais obras de Stanley Kubrick é sem dúvida um dos thrillers mais assustadores EVER. Lançado em 1971, chocou o mundo com sua violência gratuita e cenas de estupro. Mas é a parte onde Alex, um dos rebeldes, é preso pelo Governo e obrigado a assistir a uma série de imagens violentas, que deixa todo mundo de cabelo em pé.

Diretor: Stanley Kubrick
Sinopse: Ambientado numa Inglaterra futurista, o filme mostra a vida de um jovem, chamado Alexander DeLarge, cujos gostos variam de música clássica a estupro e ultraviolência. Ele é o líder de uma gang de arruaceiros, aos quais se refere como droogs. Os droogs invadem uma casa, golpeiam o escritor que vive nela e estupram sua esposa, enquanto Alex canta Singin’ in the Rain. Mas as consequências estão por vir.


9. Mistérios da Carne (Mysterious Skin, 2004)
O único da lista que aborda pedofilia diretamente. Apesar do assunto desconfortável e pesado, o filme é um tanto lúdico, principalmente pelas memórias de um dos personagens principais, o qual acha que foi abduzido por ETs, quando na verdade sofreu abuso sexual. O outro, Neil, vivido por Joseph Gordon-Levitt, tornou-se garoto de programa e lembra-se muito bem o que aconteceu quando criança. O choque vem porque a trama mostra os traumas gerados pela pedofilia nas duas crianças, além de algumas cenas fortes, como a que Neil é estuprado com violência por um de seus clientes.

Diretor: Gregg Araki
Sinopse: Aos 8 anos Brian Lackey (Brady Corbet) acordou do lado de fora de sua casa com o nariz sangrando, sem ter ideia de como tinha chegado lá. Depois do incidente ele nunca mais foi o mesmo: tem medo do escuro, urina na cama e é assombrado por pesadelos. Agora, aos 18 anos, ele acredita ter sido abduzido por alienígenas. Neil McComick (Joseph Gordon-Levitt), também de 18 anos, é um adorável forasteiro, o rapaz que todos admiram a distância. Quando seus caminhos se cruzam, eles descobrem que as memórias mais importantes de suas vidas não são o que parecem.


10. A Pele que Habito (2011)
Famoso por ser um filme de terror sem sustos e gritos, e de fato é, A Pele que Habito dá nós na garganta do inicio ao fim. Angustiante, o primeiro suspense de Almodóvar acerta em cheio ao deixar no ar o que realmente está acontecendo, liberando as respostas aos poucos até chegar ao seu impactante final. Aviso aos que ainda não se aventuraram nessa história tensa: algumas cenas ficarão pra sempre na sua mente. Enjoos e calafrios devem ser esperados.

Diretor: Pedro Almodóvar
Sinopse: Roberto Ledgard (Antonio Banderas) é um conceituado cirurgião plástico, que vive com a filha Norma (Bianca Suárez). Ela possui problemas psicológicos causados pela morte da mãe, que teve o corpo inteiramente queimado após um acidente de carro e, ao ver sua imagem refletida na janela, se suicidou. O médico de Norma acredita que esteja na hora dela tentar a socialização com outras pessoas e, com isso, incentiva que Roberto a leve para sair. Pai e filha vão juntos a um casamento, onde ela conhece Vicente (Jan Cornet). Eles vão até o jardim da mansão, onde Vicente a estupra. A situação gera um grande trauma em Norma, que passa a acreditar que seu pai a violentou, já que foi ele quem a encontrou desacordada. A partir de então Roberto elabora um plano para se vingar do estuprador.

Cult Pop Show - Entretenimento e Cultura Pop sem ruído.

(fontes: Wikipédia, Filmow, Adoro Cinema, IMDb, Omelete e Complex Magazine)

About these ads

18 pensamentos sobre “TOP 10: Filmes mais chocantes do cinema

  1. Cara, a lista é bem interessante, mas senti muita falta de “Oldboy” nela. Esse clássico cult do cinema coreano, tem um dos melhores plot twists já vistos. Sem contar que a história por si só é muito bizarra, porém altamente justificada quando se chega no final.

  2. Danilo,parabéns eu nem preciso assistir alguns filmes,somente com seus comentários já me “arrepiei” toda aqui…rs
    Mas fiquei muito interessada em assistir a pele que habito,do Almodóvar.
    Mais uma vez:Parabéns!
    Bjus

  3. A pele que habito é extremamente bom….para quem gosta de tentar desvendar o final do filme enquanto esta vendo será uma ótima experiência pq mil coisas passam pela sua cabeça e a surpresa final te mostra que nem seus pensamentos mais geniais seriam capazes de chegar a tal ponto

  4. na época que vi o Irreversível na Mostra internacional de Cinema, muitas pessoas saíram da sala. Meu namorado na época quis sair de qq jeito, mas assistimos até o fim..a sensação foi horrível mesmo…mas o filme é muito bom..

  5. Embora a lista conte com vários clássicos e filmes que representem muito bem o gênero, acho que ela foi bastante injusta com filmes que na minha concepção são muito mais chocantes (tanto no roteiro quanto na direção de arte). Primeiro, em se tratando de filmes “whathafuck”, como se pode esquecer os filmes orientais? A lista poderia no mínimo mencionar o clássico japonês Ichi the killer (Koroshya Ichi) que usa em extensão as temáticas mais chocantes abordadas ao extremo, ou então os roteiros insanos de “Suicide Circle(Jisatsu Saakuru)” e “Battle Royale(Batoru Rowaiaru)”. Isso sem mencionar a trilogia vengeance (mr vengeance, oldboy e lady vengeance). De fato, imagino que uma lista de filmes “chocantes” apenas dentro do cinema oriental já seria bastante pra uma vida. Também acho que poderiam ser citados filmes que conseguem ser bastante insanos apenas por mérito dos diretores, sem lidar com temáticas apelativas como a pedofilia, incesto ou necrofilia. Como exemplo tem a sequencia “Centopéia Humana”,que possui uma arte irreprensível para cada filme ao seu modo; “Lágrimas de Kali” que envolve uma trama psicológica intensa numa temática de misticismo e alucinações, e a versão original de “Violência Gratuita” com seu enredo imprevisível fazendo mérito ao titulo. Misturar histórias aparentemente sem nexo porém perturbardoras em um cenário “gore” é uma arte muito apreciável… Também não seria justo eu tirar o mérito da lista, portanto, parabéns Danilo

  6. de boa, Misterious skin é mais enojante que chocante, e A Pele Que Habito e Laranja Mecânica não tem nada de tão chocante assim

  7. Já assistir a pele em que hábito, e realmente dá frio na espinha….
    E agora pretendo assistir 120 dias de sodoma….
    O jeito como você escreve é muito bom plz quando surgirem mais filmes polêmicos escreva….

  8. Já assisti 120 dias de sodoma;A Serbian Film;Laranja Mecânica, Exorcista e Irreversible …na minha opinião relamente são filmes bastante assustadores e que mexem com uma parte da nossa humanidade q raras vezes e tocada, mexe com assuntos, dolorosos, nojentos ou até mesmo bizarros… por isto gostei muito desta lista e deu vontade de assistir aos outros filmes para sentir oque cada tem a me tocar…

  9. Pingback: Mistérios da Carne: o retrato ambíguo de um passado traumático | Cult Pop Show

  10. Pingback: Mistérios da Carne: o retrato ambíguo de um passado traumático | Cult Pop Show

O que achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s